Jerônimos, obra prima do estilo manuelino

Jerônimos, obra prima do estilo manuelino

Mosteiro dos Jerônimos

Este Mosteiro ostenta a imponência e o luxo a que o Reino de Portugal se podia dar na época das rotas marítimas para a África e Oriente Médio, que na altura abasteciam os cofres do Reino.

Sua construção iniciou-se no ano de 1501, patrocinada pelo rei D. Manuel I, com o objetivo de ser consagrado a Santa Maria de Belém e de receber a comunidade de monges da ordem de São Jerônimo, que teria, entre outras funções, de rezar pela alma do rei e prestar assistência espiritual aos navegadores que partiam à descoberta de outras terras.

A obra durou cerca de um século e teve vários mestres responsáveis, como os arquitetos Diogo de Boitaca, João de Castilho, Diogo de Torralva e Jerônimo de Ruão.

O Mosteiro é considerado a jóia da arquitetura manuelina, integrando elementos do gótico final e do renascimento, simbologias régia, cristológica e naturalista, o que a torna única.

Sua fachada tem aproximadamente 300 m. A igreja, cuja luminosidade é filtrada por belos vitrais, apresenta uma planta em cruz latina, composta por três naves de mesma altura. Logo na entrada estão os túmulos de Vasco da Gama e de Luís de Camões. Na capela-mor, estão os túmulos de D. Manuel I e de D. João III, reis de Portugal, assim como os de suas esposas, D. Maria e D. Catarina, que entretanto foi a responsável pela construção desta capela, em 1571. O retábulo é constituído por várias pinturas maneiristas retratando a paixão de Cristo e a adoração dos Reis Magos.

Outra magnífica dependência do Mosteiro é o seu claustro em formato de octógono, uma obra-prima em estilo gótico, projetada por Boitaca, onde os religiosos viveram enclausurados durante 4 séculos.

Por fim, destacam-se os imponentes portais, pelo seu valor artístico e iconográfico. O Portal Sul fica na fachada do monumento, que se desenvolve paralelamente ao rio Tejo. Apesar da sua suntuosidade é apenas uma entrada lateral. A figura central deste pórtico é Nossa Senhora de Belém, que é a invocação desta Igreja e Mosteiro, ostentando na mão o vaso das oferendas dos Reis Magos. Ladeando a Virgem, uma multidão de estátuas representa os profetas, os apóstolos, os doutores da Igreja e algumas santas. O Portal Axial, embora de dimensões menores e menos majestoso do que o anterior, é o mais importante portal do Mosteiro, quer pela sua localização (frente ao Altar-Mor), quer pela sua decoração. Aqui encontram-se representadas cenas do nascimento de Jesus Cristo, as estátuas orantes do Rei D. Manuel I e da Rainha D. Maria, com os seus santos patronos, São Jerônimo e São João Batista.

O Mosteiro dos Jerônimos foi classificado como Monumento Nacional em 1907 e como Patrimônio Mundial em 1983, pela Unesco. Em 7 de Julho de 2007 foi eleito como uma das 7 maravilhas de Portugal.

Comments are closed.