Serra da Estrela

Serra da Estrela

"...Guarda secretamente os ímpetos, refletindo-se discreta no espelho das suas lagoas! E somente a quem a passeia, a quem a namora duma paixão presente e esforçada, abre o coração e os tesouros..."
Miguel Torga - escritor e poeta português

A Serra da Estrela, situada na Região das Beiras (Centro), designa a cadeia montanhosa onde se encontram as maiores altitudes de Portugal Continental. O seu ponto mais elevado, com 1993 metros de altitude e denominado Torre, torna-a na segunda montanha mais alta de Portugal, superada apenas pela Montanha do Pico, nos Açores.

A esta serra que há muito chamam de Estrela, os romanos deram o nome de “Herminius mons” – os montes de Hermes, que ainda hoje é referida como Montes Hermínios. Mas a história da Estrela é mais longínqua e vem da era antes de Cristo, com o seu herói Viriato, chefe e pastor-guerreiro, que atacou as tropas de Roma nos cumes da montanha.

O ponto mais alto de Portugal Continental não é apenas o lugar mais alto. A Serra da Estrela, em toda a sua grandiosidade, é um aglomerado de vida, magia e de muitos locais por descobrir.  No inverno, fica ainda mais majestosa e torna-se o centro das atenções, coberta pelo seu manto branco de neve. No entanto, é depois do degelo que a maioria dos seus segredos e riquezas desabrocham, sob o inebriante olhar dos visitantes.

Mãe de três importantes rios nacionais, a Serra da Estrela faz brotar o Mondego, o Zêzere e o Alva, e é por entre vales glaciares e altos montanhosos, por fios de água e nascentes, que maravilhas naturais acontecem.

Deslumbra-nos pelos seus imensos bosques, seus imponentes rochedos, por uma flora rica e suntuosa serpenteando as estradas, pelas refrescantes praias fluviais, pela simplicidade dos pastores de ovelhas a conduzir seu rebanho e por toda a vida que dela nasce.

O cume da montanha é o lugar mais procurado pelos turistas no inverno, pois é um local privilegiado para a prática de Ski, snowboard, trenós, entre outros. Nas outras estações, os esportes também são variados. Rios descem serra abaixo e nada melhor do que usufruir de alguns trechos para a canoagem. O parapente é outra modalidade, que conta com escolas e festivais específicos.

Mas a soberana em tempos mais amenos é, sem dúvida alguma, a caminhada. Com inúmeras rotas já delimitadas, a serra oferece trilhas pelas lagoas, pelos vales glaciares, pelos bosques. Aqui, a natureza é verdadeiramente generosa e oferece as nascentes mais frescas, cujas águas contêm propriedades terapêuticas incomparáveis. Portanto, é preciso mencionar as maravilhosas Termas (do Cró, de Unhais da Serra, de Almeida), com as águas mais puras e repletas de propriedades medicinais, que proporcionam um ambiente de bem-estar único, no coração da Serra, perfeito para quem deseja escapar da agitação das cidades e ficar em perfeita comunhão com a natureza.

Vale ressaltar ainda a multiplicidade no turismo cultural: os antigos bairros judeus (Judiarias), as Aldeias Históricas de Portugal, as Aldeias de Xisto, os castelos, museus e monumentos.

Os sabores são um capítulo à parte e alguns são indissociáveis da Estrela! O cabrito é o rei da mesa! Tem os enchidos feitos na montanha (alheiras artesanais, morcelas e chouriças), o arroz de carqueja, o mel serrano, o bolo negro de Loriga...

Agora, imperdoável seria não provar o tão famoso queijo da serra, curado e amanteigado,produzido com o leite das ovelhas bordaleiras! Hummmm! Fica mesmo perfeito, quando acompanhado por um bom copo de vinho tinto e um pão de centeio, de tom escuro e de textura, aroma e sabor inesquecíveis!! É de fazer despertar todos os nossos sentidos!

Enfim, quer seja no verão ou no inverno, no outono ou na primavera, uma coisa é certa, o encantamento pela majestosa Serra da Estrela, por suas paisagens de cortar a respiração e por sua fascinante gastronomia e hospitalidade o farão regressar, para desfrutar ainda mais desta maravilha natural de Portugal.

Venha conferir!

Comments are closed.