Monsaraz

Monsaraz

A vila medieval de Monsaraz é uma das mais antigas de Portugal. Localizada numa região habitada desde os tempos pré-históricos, existindo em seus arredores muitos monumentos megalíticos, Monsaraz é um primitivo castro que foi mais tarde romanizado e ocupado sucessivamente por visigodos, árabes, moçárabes e judeus, até ser definitivamente dominado pelos cristãos no século XIII.

Em 1167, foi conquistada aos muçulmanos por Geraldo Sem Pavor numa expedição que partiu de Évora, também recém-conquistada. Após a derrota de D. Afonso Henriques em Badajoz, Monsaraz cai novamente em poder dos árabes. Em 1232, apoiado por cavaleiros templários, D. Sancho II reconquista-a em definitivo, sendo posteriormente doada à Ordem do Templo.

Após as guerras de 1383-1385, a Vila de Monsaraz é integrada na Casa de Bragança e passa a ser uma das mais preciosas fontes de rendimento da grande casa ducal portuguesa. Em 1512, D. Manuel concede novo foral à Monsaraz, reformulando a vida pública e jurídica do Concelho.

Depois da restauração da independência, em 1640, foram construídas novas fortificações, tornando Monsaraz uma vila praticamente blindada. Em termos de patrimônio é importante destacar a Torre de Menagem, a Casa da Inquisição, a Porta da Vila, a Igreja Matriz de Nossa Sra. da Lagoa, o Pelourinho, a Igreja de Santiago, o edifício do Hospital do Espírito Santo e Casa da Misericórdia e todo o casario característico da vila.

Monsaraz mantêm a magia de outrora como poucos lugares no mundo. Feita de cal e xisto, este lugar sussurra magníficas histórias de reis audazes, cavaleiros templários, gentes bravas e damas de beleza singela.

O castelo de Monsaraz é um ponto turístico excepcional, pois é um dos mais esplêndidos mirantes sobre o maior lago artificial da Europa e uma das maiores obras portuguesas do século atual, a Barragem de Alqueva. A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa, erguida sobre as ruínas de uma igreja gótica, destruída devido à peste negra que assolou a região, é um monumento religioso do século XVI de estilo renascentista, que apresenta um belíssimo frontão, decorado por um painel de azulejos e uma Cruz da Ordem de Cristo, em honra de Nossa Senhora da Conceição.

Também sobre as ruínas do seu antecessor, destruído no terremoto de 1755, está o Pelourinho oitocentista. Em mármore branco de Estremoz, este símbolo da jurisdição e autonomia de Monsaraz está situado em frente à Igreja Matriz.

A Casa da Inquisição recorda a dura perseguição aos judeus. Conta-se que esta era a casa onde eram terrivelmente torturados os prisioneiros pelos inquisidores, embora não haja provas documentais. Outra hipótese é que esta casa esteve ao serviço da Inquisição apenas como arquivo de processos ou como cárcere até os prisioneiros serem julgados no Tribunal do Santo Ofício, em Évora.

Depois de admirar toda a beleza da vila e visitar seus pontos turísticos, entre num restaurante e saboreie um dos tradicionais pratos alentejanos, como as migas ou o borrego, acompanhado de um bom vinho regional, enquanto aprecia a vista sobre o Lago do Alqueva ou, se a noite já tiver chegado, o espetáculo das constelações, que brilham mais intensamente no
firmamento de Monsaraz.

Suspensa no tempo, a histórica povoação alentejana é, sem dúvida, um destino obrigatório na sua viagem a Portugal.

Comments are closed.