Coimbra

Coimbra

Cidade do Conhecimento!

Cidade historicamente universitária, Coimbra foi berço de nascimento de seis reis de Portugal, da Primeira Dinastia, assim como da primeira Universidade do país, declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Foi a capital de Portugal até 1255 e nela está o primeiro Panteão Nacional, o Mosteiro de Santa Cruz. A padroeira da cidade é a rainha Isabel de Aragão, conhecida popularmente por Rainha Santa.

A "Latada", recepção dos calouros em setembro (início do ano letivo) e a "Queima das Fitas", no mês de maio, são as festas tradicionais da cidade, trazendo milhares de visitantes.

Coimbra também tem um passado romântico e trágico, pois o foi palco do amor proibido do rei Dom Pedro I e Dona Inês de Castro, saga que culmina com o assassinato desta pelo rei Afonso IV e posteriormente com a coroação póstuma desta nobre galega.

A cidade acolhe um patrimônio de valor arquitetônico, cultural e natural muito interessante, que reflete os grandes momentos da história de Portugal.

Essa não pode ficar fora do seu roteiro!!

“Estavas, linda Inês, posta em sossego,
De teus anos colhendo doce fruito,
Naquele engano da alma, ledo e cego,
Que a Fortuna não deixa durar muito,
Nos saudosos campos do Mondego,
De teus fermosos olhos nunca enxuito,
Aos montes insinando e às ervinhas
O nome que no peito escrito tinhas.”
...
“Tirar Inês ao mundo determina,
Por lhe tirar o filho que tem preso,
Crendo c’o sangue só da morte ladina
Matar do firme amor o fogo aceso.
Que furor consentiu que a espada fina,
Que pôde sustentar o grande peso
Do furor Mauro, fosse alevantada
Contra hûa fraca dama delicada?”
...
“Bem puderas, ó Sol, da vista destes,
Teus raios apartar aquele dia,
Como da seva mesa de Tiestes,
Quando os filhos por mão de Atreu comia!
Vós, ó côncavos vales, que pudestes
A voz extrema ouvir da boca fria,
O nome do seu Pedro, que lhe ouvistes,
Por muito grande espaço repetistes.”
...
“Assi como a bonina, que cortada
Antes do tempo foi, cândida e bela,
Sendo das mãos lascivas maltratada
Da minina que a trouxe na capela,
O cheiro traz perdido e a cor murchada:
Tal está, morta, a pálida donzela,
Secas do rosto as rosas e perdida
A branca e viva cor, co a doce vida.”
Os Lusíadas - Canto III
(Luís de Camões)

1) Universidade de Coimbra
1.1) O Paço Real
1.2) Capela de São Miguel
1.3) Porta Férrea
1.4) Biblioteca Joanina
1.5) Colégio de Jesus
1.6) Torre da Universidade
1.7) Jardim Botânico
1) Mosteiro de Santa Cruz
2) Sé Velha de Coimbra
3) Sé Nova de Coimbra
4) Mosteiro de Santa Clara de Coimbra, popularmente conhecido como Convento de Santa Clara-a-Velha
5) Mosteiro de Santa Clara-a-Nova
6) Igreja de Santo António dos Olivais
7) Igreja de São Tiago
1) Quinta das Lágrimas
2) Parque de Santa Cruz
3) Mata Nacional do Choupal
4) Penedo da Saudade – parque e miradouro da cidade
5) Parque Verde do Mondego
6) Parque Manuel Braga
1) Museu Nacional de Machado de Castro
1) Café Santa Cruz
1) Portugal dos Pequenitos - parque temático concebido e construído como um espaço lúdico, pedagógico e turístico, para mostrar aspectos da cultura e do patrimônio português

2) O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra - O Exploratório é uma associação privada sem fins lucrativos, que no ano 2000 foi declarada como instituição de utilidade pública.

3) Conímbriga (17km) - um dos maiores sítios arqueológicos dos que há vestígios em Portugal. Está classificada como Monumento Nacional.

Clique aqui e veja as ofertas Booking.com para Coimbra

Comments are closed.